Enrabada pelo namorado da titia

Nunca fui muito tímida, desde a época da escola e da faculdade estava rodeada por amigos, frequentava festas e era muito popular. Muito deve-se à minha aparência, modéstia à parte. Mesmo sendo baixinha, me considero um mulherão, tenho 25 anos, pratico esportes desde muito nova e sou muito vaidosa, fora do normal. Com isso cultivei um corpo violão, cintura fina, pernas e bumbum bem torneados e meus seios são bem empinados, tudo natural. Além da minha boca grande e meus cabelos longos e bem lisos. Os rapazes sempre disseram que eu tenho cara da santa… E que essas eram as piores, rsrs.
Há alguns meses, minha tia (irmã do meu pai) começou a namorar um cara, acho que eles têm a mesma idade, cerca de 40 anos. Pense num cara gato! Ele tinha um estilo bem despojado e confiante, cheio de tatuagens e com um corpo de quem malha desde sempre. Nos encontros da família, quando conversávamos a sós, eu não conseguia disfarçar o quanto eu pagava pau pra ele. Suas conversas e confiança me deixavam toda mole e tímida, mas eu também podia notar que ele conversava diferente comigo quando minha tia não estava por perto. Enfim…
Certo dia, fui com meus pais ao apartamento da minha tia para um almoço. Logo que o vi, gelei como sempre. Ele estava fazendo um churrasco e, como tinha cerveja, todos acabaram tomando umas a mais, menos minha mãe e minha tia.
Acontece que no meio da tarde, meu outro tio (irmão mais velho do meu pai que não pôde ir ao almoço), ligou pedindo ajuda pois havia batido o carro e estava sem seguro.
Como minha mãe não dirige e meu pai havia bebido, minha tia foi com eles. E quem sugeriu me levar embora pois eu estava de carona com meus pais? César, o namorado da titia!
Assim que todos saíram, conversamos na sala por longos 5 minutos… Ele esquentou a conversa rapidinho perguntando porque uma garota como eu não tinha namorado.
Falei que só conhecia cara superficial e estava enjoada. Então ele simplesmente pediu que eu olhasse para a janela pois iria me mostrar uma coisa.
Como estava “altinha” por conta das cervejas, nem achei estranho. Virei e olhei lá fora pela janela, acabei até ficando na ponta dos pés para procurar o que fosse pra ser visto. Mas não tinha nada a ver com enxergar… Ele estava posicionado atrás de mim, então simplesmente agarrou a minha cintura e com a outra mão segurou firme em meu cabelo, me forçando contra ele. Nesse momento eu já estava em choque, transe, ou sei lá o que, quando ele sussurrou no meu ouvido: “vou te mostrar o que é foder de verdade!”.
Logo que minha perna amoleceu, ele me virou de frente e lascou um beijo profundo.
A verdade é que ele já sabia que eu estava caidinha por ele e aproveitou toda a situação mais as cervejas pra nem me deixar pensar…
Mal sabe ele que mesmo pensando muito eu não trocaria aquilo por nada! Um dos motivos de eu ter ido de mini saia, para provoca-lo. Inclusive, ele só teve que levantar uma das minhas pernas, tirar a calcinha de lado e começar a me chupar como eu nunca havia experimentado, ele não tinha pressa, apenas sabia o que estava fazendo. Comecei a gemer alto e antes que eu pudesse gozar, fiz com que ele ficasse em pé, também queria mostrar o que eu sabia!
Fiquei de joelhos e comecei a chupar gostoso, também não tive pressa e trabalhei bastante naquela cabeça deliciosa, ficava batendo uma punheta de leve enquanto lambia e chupava o pau dele com muita vontade. Quando percebi que ele estava ficando ofegante, parei e ainda ajoelhada disse olhando em seus olhos: “Agora quero ver você me foder com tudo!”. Ele deu um leve sorriso, e com uma cara de safado me pegou pela mão e me levou até o sofá, é claro que já me posicionei de joelhos de frente pro sofá e de costas para o César.
Foi quando ele veio por trás e sem mais delongas enterrou o pau na minha bocetinha. Confesso que vi “estrelas” no bom e no mau sentido, mas a vontade com que ele me estocava era mais firme, forte e num ritmo que eu não duraria muito tempo.
Mas ele queria mais, começou a diminuir o ritmo e alisar o dedão umedecido no meu cuzinho. Não seria a primeira vez e o tesão estava nas alturas, deixei rolar.
Conforme eu rebolava nas investidas dele, em determinado momento, sacou a rola da minha boceta e começou a alisar meu cuzinho, esfregando a cabeça do pau e pressionando de leve. Aquilo estava me excitando muito e eu já gemia antes mesmo dele me penetrar, até o momento em que, diferente da primeira vez, devagarzinho ele foi socando toda a rola no meu rabo, que a essa altura já estava totalmente relaxado. Acho que não durou nem 5 minutos e gozamos praticamente ao mesmo tempo.
Pena que não deu pra ficar muito tempo curtindo aquele momento único, minha tia “empata foda” ligou avisando que já havia dado tudo certo e não demorariam a voltar.
Saímos às pressas pois eu tinha que chegar e casa antes dos meus pais.
Isso aconteceu há uns 6 meses e até agora não rolou mais nada, mas com certeza não faltarão oportunidades, ele me disse que está pensando em noivar com a minha tia, aí entra pra família de vez hehehe

Deixe um comentário